sexta-feira, 15 de março de 2013

OS VEÍCULOS DO PARNASO

          Condutores que apreciassem versos podiam alugar «veículos do Parnaso». Tratava-se de carros que seguiam à frente e cuja retaguarda exibia um ecrã onde surgiam estrofes ajustadas à preferência de quem solicitara o serviço. Em tal circunstância, a velocidade máxima permitida era menor que a expressa na lei geral, pelo que o exercício ajudava a reduzir os índices de sinistralidade. Verificavam-se excepções quando o leitor, ao volante, confundindo o literal e o metafórico, resolvia entrar dentro do poema.